Fugir. Sumir.

Eu disfarço

Mas a curtos passos

Finjo fugir

De mim, de ti?

 

Careço-te.

Pareço-me

com o que te apetece?

Se parecer, apareço.

 

Onde estou que não posso

Onde estou que não consigo ir?

 

Deixei escapar

Para onde foi?

O que era?

O que foi?

Para onde que fui?

 

 

Imagem:  L’Histoire d’Adèle H (A historia de Adele H.), 1975, François Truffaut. Uma bela “homenagem” ao drama de Adele Hugo, filha de Victor Hugo.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: