professores

eles esqueceram de pegar a maioria dos certificados das atividades que fizeram, pra não dizer todos. eles ficaram embolados em um ou outro concurso ou por serem descuidados com seus próprios documentos ou porque alguém lhes bloqueou propositalmente o caminho. a identidade, o passaporte, algum desses ou todos já passaram da validade. a certidão de quitação eleitoral não existe. eles já foram expulsos, demitidos ou recusados “injustificadamente” em uma ou outra instituição. eles já trabalharam e viveram em vários lugares, e não exatamente por escolher. eles não são os melhores amigos da coordenação, dos seus chefes. nunca foram estampados nas publicidades e propagandas, apresentados como os mais exemplares, e nunca tiveram seu caminho mais facilitado do que a maioria. eles não tem e nem tiveram mestres, tem e tiveram amigos. eles não foram e nem são mestres, eles foram e são amigos. eles se tornam amigos com facilidade dos alunos renegados. frequentemente, são os primeiros a acreditarem e darem espaço pra um ou outro desses alunos. dividem todas as obrigações de professor com eles, até que essas fronteiras se desmanchem o máximo possível. eles abrem suas casas para festas e encontros. são daqueles que não se distanciam do adolescente que foram. frequentemente ouvem que precisam amadurecer, que já passaram da idade. eles também não recusam as potências dos adolescentes e jovens de hoje. eles não sabem lidar tão bem com a própria vida financeira, se é que consideram isso uma vida. eles desfazem as fileiras das salas e organizam as cadeiras em círculos. eles organizam teatros e encenações com os alunos. eles indicam livros de literatura, álbuns e filmes mais do que manuais. eles podem até já ter ouvido que não fazem ciência, que fazem literatura. eles estão nos bares. eles estão nas ruas. eles tem tatuagens. eles já pensaram muito em abandonar tudo e viver de outra coisa. e pode ser que eles abandonem mesmo. eles fotografam, eles colecionam vinis, eles fazem poesia, eles surfam, eles cozinham, eles fazem cerveja, eles são pais. eles vivem de várias coisas. eles são várias pessoas em uma. pra eles, com eles, não faltam afetos. eles amam.

[só pensando no perfil de professores e professoras que admiro e que admirei, que vi e vejo insistindo por aquilo que poucos insistem, que me ajudaram e ao lado dos quais sempre me senti mais confortável… e junto a mim estão várias pessoas. várias que só tem a agradecer.]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: